Contacto

Leite Silva.....zeventura@netvisao.pt

domingo, 28 de junho de 2015

Render da Guarda

Esta fotografia datada de junho de 1975, leva-nos até ao quartel de Henrique de Carvalho, agora Saurimo, onde se pode ver a formatura para o render da "Guarda", na sua maioria composta por elementos da CCS.
Fotografia do António Bento.

domingo, 21 de junho de 2015

Partida pra o Dondo

Da Esquerda para a direita podemos ver o Antunes , o Estevão o Rodrigo Dias, o "Ajudante" Hilário, o Leite Silva e o Manuel Sá.
Esta fotografia foi obtida quando o Batalhão se deslocou da Base de Saurimo para o Dondo, via Luanda.

sábado, 13 de junho de 2015

Recordando um Amigo

Recordamos hoje aqui o “Furriel Piteira”  através de uma história que ele publicou no seu Blog uns meses antes de falecer.
Vale a pena ler, até pelo facto de estar muito bem escrito.

…Sei, mas não tinha era a consciência do que poderia ter acontecido. quando a coluna militar parou pela manhã em SALAZAR, assim se chamava até 1975, em que a 3ª companhia do BAT CAV 8322/74 , se deslocava para uma nova ZA ( Zona de acção). Nosso destino Catete pela importância histórica, foi lá que nasceu o líder do MPLA AGOSTINHO NETO .
Foi uma viagem de regresso, vínhamos aproximando de Luanda, deixamos para trás Saurimo , mais propriamente o AB4 onde estivemos aquartelados durante uns meses interagindo com a cidade lá em baixo a 2 ou 3 kms.
A coluna militar partiu e eu uns quilómetros passados é que me apercebi da extensão da mesma, no momento já era uma coluna mista acompanhava-nos mais de 70 carros civis, sentir-se iam mais seguros viajar com a tropa portuguesa a finalidade deles era chegar a Luanda para vir para Portugal. Os chamados Retornados!
Todo o Norte de Angola já estava no domínio do MPLA já não havia conflitos portanto até N`dalatando foi uma viagem de turismo apreciando a vistas e divertindo-nos com as peripécias que aconteciam às viaturas já velhas a gastas, eram " abatidas " ali mesmo montanha abaixo.
Desta vez tive o privilégio de viajar instalado dentro da cabina de uma Berliet , sem ar condicionado com quilos de pó no camuflado.
Como a coluna em andamento de estendia por vários quilómetros era difícil passar mensagem todo com aquele roncar dos motores se a primeira viatura parasse só meia hora depois pararia a ultima assim lá íamos todos contendes da vida , ficaríamos uns metros mais perto de casa , por ironia assim que cheguei e para animar estava um cartaz de boa vindas e irónico - Maçarico está a 10.000 Kms do PUTO (Portugal).
Que linda que estava MALANGE à vinda, destroçada que estava à ida , porém já não estaria o Dono do restaurante onde não pagamos o jantar uns meses antes ...... para lhe liquidar a dívida .
Serpenteando pela estrada daqueles montes e vales e já perto de N`Dalatando aproximava-se sarilhos, já anoitecia a coluna parou na cidade pesava eu que era para passarmos a noite . mas não, uma barreira do MPLA que não queriam deixar-nos passar.
Só passariam os militares os civis não , que grande embrulhada , não deixaríamos nas mão dos guerrilheiros os civis , que poderia acontecer eu não sei mas deduzo ...
Altas patentes reunidas em conversações que duraram quase toda a noite , fomos avisados que poderia dar para o "torto" para estarmos preparados .....
No meu caso preparei-me mas foi para comer um arroz quente com mandioca duma amável e linda mestiça que foi com a minha cara, que já estava farto da ração de combate, chocolate com leite e conservas aquecidas na pólvora das balas ...
Por fim lá foi desbloqueada a situação e tudo seguiu conforme, partimos cedo a ainda parámos em Cambambe onde estava instalada uma companhia do nosso Batalhão, para montar segurança a barragem.
E assim chegamos a CATETE e os civis seguiram para Luanda .


Uma história do Zé Piteira 

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Um almoço na Restinga

Hoje o meu amigo Fernando Gomes, "Furriel " da CCS faz anos, com esta foto deixo aqui um grande abraço. Lembras-te Gomes desta almoçarada na Restinga?